Operações de Drone - Audiovisual x Aerolevantamento

No post de hoje abordaremos as diferenças entre operações com Drones em trabalhos

de aerolevantamentos e captações audiovisuais.


Inicialmente, é importante ressaltar que existe uma grande diferença entre a finalidade, os equipamentos e as operações de voo para aerolevantamentos voltados à engenharia e à geração de imagens para material publicitário/artístico.



AUDIOVISUAL


Em relação à operação, ocorre que na captação de imagens com viés audiovisual, os takes são obtidos primordialmente através do voo livre; ou seja, o Drone é totalmente operado através do controle remoto que o piloto utiliza para comandar todo o equipamento – tanto o voo (velocidade, altura, direcionamento) quanto a captação das imagens (início/fim do vídeo, disparador de fotos e direções da câmera) são controlados por esse dispositivo. Além disso, geralmente tem-se um smartphone acoplado ao controle para que o piloto possa ver o que está filmando ou fotografando. Consegue imaginar o material resultante se o piloto não visualizasse a imagem da câmera?!


Vídeo captado com Mavic 2 Pro em Porto Alegre - RS


É claro que hoje já existem muitas ferramentas automáticas para captação de vídeos e fotos embutidas nos sistemas de controle dos Drones. Na verdade, elas estão presentes na maioria dos equipamentos e existem justamente para facilitar a vida do operador, ainda que

ele tenha que iniciar e finalizar cada manobra automática.


Muitos dizem que takes capturados com voos automáticos ainda estão muito longe de ter a mesma qualidade de um voo inteiramente manual de um piloto habilidoso (que no nosso segmento significa: “tenha quebrado muitos Drones arriscando novas manobras”).


Aqui um exemplo de um voo de Drone completamente manual e ainda por cima com

um Drone sem GPS e sem estabilização, tudo sob controle do piloto:


Vídeo captado com um drone freestyle




AEROLEVANTAMENTO


Bom, já nos aerolevantamentos, os voos não são totalmente controlados pelo piloto; na realidade, o VANT executa a operação a partir de um plano de voo. O que acontece é uma programação do trajeto a ser percorrido. Esse plano é realizado previamente por um computador ou um smartphone através de softwares específicos para essa finalidade, nos quais são estabelecidos todos os parâmetros de voo (velocidade, altura, sobreposição de imagens e o percurso em si). Os comandos do piloto, nesse tipo de operação, se restringem à decolagem e ao pouso do VANT. Em alguns casos, os pilotos podem programar até isso.


planejamento feito no software Mission Planner



Quanto aos equipamentos utilizados, também existem diferenças consideráveis. Para a obtenção de imagens, no setor audiovisual, utilizam-se primordialmente modelos de Drone multi-rotor, os quais possibilitam voos em velocidades mais lentas e com sistemas de estabilização de câmera, proporcionando takes dignos de cinema. Nas operações de Aerolevantamento também é possível a utilização de Drones do tipo multi-rotor, porém como aqui na Prop trabalhamos com grandes áreas, nós priorizamos a utilização do Drone asa-fixa para esse tipo de atividade, pois permite maior velocidade e, consequentemente, maior rendimento da operação. Veja aqui

Em geral, os voos de aerolevantamentos têm como resultado a obtenção de imagens georeferenciadas (com coordenadas geográficas e cotas de altitude). Mas para que servem essas imagens? A gama de possibilidades é imensa... Fique ligado aqui no blog, em breve abordaremos os produtos gerados por Drones nos aerolevantamentos.

Prop Drones - 2019